Nótícias

Simone Vasconcellos-Calves treina no Tênis Clube

Na tarde da última quinta-feira (23), a tenista Simone Vasconcellos-Calves voltou a treinar no Tênis Clube, depois de disputar o Mundial Individual Seniors da ITF, na Croácia. Ela e Adriana Flórido Naef treinaram com Patrícia Medrado, Claudia Failace, Monica Yanagi e Luisa Ganem, outras jogadoras com grandes carreiras no esporte.

Simone acabou de voltar do Mundial, realizado em Umag, registrando uma boa campanha. Na categoria Simples, foi eliminada nas quartas de final pela campeã mundial, a americana Jenny Klitch, por duplo 6/4. Simone também participou das chaves de duplas femininas e duplas mistas, com a portuguesa Luisa Gouveia, na categoria 55+, e com o sueco Jan Hedman, na categoria 50+, obtendo medalha de bronze nas duas categorias.

A seguir, a íntegra com Simone Vasconcellos-Calves:

Tênis Clube: Você acabou de vir de um Mundial na Croácia e ficou entre as 10 melhores do mundo. Qual é a sensação?

Simone: Eu acho que o mais importante não é o ranking, mas sim de nós estarmos participando de torneios, competir, viajar, isso que é o mais gratificante para a gente. O ranking eu acho que é uma consequência do número de torneios que você consegue realizar no ano e, claro, o seu desempenho em cada torneio. A minha sensação? Eu estou feliz!

Tênis Clube: Como você avaliou a sua campanha na Croácia?

Simone: Eu acho que eu fiz uma boa campanha, mas eu esperava mais. Eu me preparei e achei que não joguei tão bem, fiquei um pouco decepcionada com meu desempenho, porque eu estava bem preparada. Mas eu tenho que ficar feliz, pois eu peguei duas medalhas de bronze, na categoria de duplas mistas e feminina, e eu perdi nas quartas de final, de simples para uma americana que acabou sendo a campeã mundial.

Tênis Clube: Nós sabemos o quanto é importante para você o tênis e voltar a ser a primeira colocada no ranking mundial, mas existem dificuldades. Quais seriam?

Simone: A maior dificuldade para você chegar a ser a número um do mundo é participar de torneios, que eu que tenho que bancar tudo, todas as despesas são por minha conta, então isso limita um pouco para onde você pode viajar e não é tão fácil assim. O nível é bem forte, bem competitivo, têm grandes jogadoras, não é fácil alcançar o topo. Eu acredito que não é o mais importante, é bom as vezes você ser a número um do ranking, para você sair bem na chave, mas não é tudo. Eu acho que o mais importante é nós estarmos jogando tênis, depois de uma pandemia louca que tivemos, eu estou sem competir há dois anos, então é muito difícil você voltar sem jogar. É como se você estivesse começando tudo do zero, sem ritmo. Só tenho que agradecer de nós estarmos voltando a jogar depois dessa pandemia.

Tênis Clube: Como você vê o Tênis Feminino no Brasil atualmente?

Simone: Hoje eu encontro o tênis feminino do Brasil melhorando bastante, nós estamos tendo bons resultados com a Luisa Stefani, com a Laura Pigossi, a Carol Meligeni..., mas o que a Luisa vem fazendo para o tênis brasileiro é inédito. Então, acho que o Brasil todo torce muito por ela, infelizmente ela teve uma contusão no joelho, vai ter que fazer uma cirurgia, no momento que ela estava no auge, mas se Deus quiser ela vai ficar boa e voltará a nos dar bastante alegria.

Tênis Clube: Você tem um projeto de tênis com o seu irmão nos Estados Unidos, explica para nós, como que é esse trabalho?

Simone: Eu trabalho para uma companhia de tênis chamada Peter Burwash International (PBI), eles trabalham com profissionais pelo mundo inteiro, atendendo em hotéis e clubes. E eu fui contratada por essa empresa, já faz dois anos que estou indo para os Estados Unidos com visto de trabalho. Eu faço um trabalho ao lado do meu irmão, em um clube chamado Harbour Ridge, um lugar bem bacana, com pessoas maravilhosas, onde trabalhamos com 90% de mulheres e as preparamos para a liga USTA. Elas participam de torneios e fora isso também tem o lado social. Estou bem feliz lá e espero continuar indo por muitos e muitos anos, porque é uma experiência única, melhorar o inglês e conhecer novas pessoas e lugares.

Tênis Clube: Se tivesse que falar sobre sua história, o que falaria?

Simone: Minha história é que eu adoro tênis, comecei a jogar com dez anos, nunca parei. Adoro a competição, não vejo graça nenhuma em treinar sem competir, estou me dando melhor na categoria Sennior do que no Infanto-juvenil. Quando eu era juvenil, eu não jogava muitos torneios, não tive grandes resultados. Adoro viajar, passear, conhecer novos lugares, competição para mim é muito bacana, fiz muitos amigos no mundo, conheci muitos lugares através do tênis. E minha vida é essa, jogar, competir e dar aula.

Confira o ranking atual de Simone Vasconcellos Calves:
Ranking atual da ITF (Internacional Tennis Federation):
- Ranking de simples #3 empatada com mais duas jogadoras;
- Duplas feminina #3 e duplas mistas #6.